23 de dezembro de 2012

Peru de natal. De natal??



Não entendo o porquê de o brasileiro incorporar como suas as verdades dos outros. Desde quando a cultura e tradição de outros povos têm de obrigatoriamente fazer parte da nossa realidade? Ou não conseguimos por incompetência cultuar e exportar nossos valores e por isso importamos as tradições e as culturas de povos com realidades tão diferentes?

Peru de natal? Como é possível que ainda hoje as pessoas não tenham assimilado as mensagens de amor, paz e generosidade de Cristo? Será que os apelos das indústrias da morte são mais fortes que os do redentor? O ser humano ainda não entendeu que postar um cadáver no centro da sua Ceia natalina não tem nada a ver com o menino Jesus, ou pensa mesmo que Cristo gostaria que seu nascimento fosse lembrado e comemorado com tortura e morte? 

A grande maioria alega (induzidos pela mídia) que ter no centro de suas comemorações cadáveres dos perus que sofreram “o diabo” é uma tradição antiga e muito importante. O engraçado é que ninguém faz questão de afirmar o mesmo em relação a ter de assistir à missa do galo e ficar em jejum o dia inteiro até que a Ceia seja servida, pois sabem muito bem que isso ninguém faz questão de cumprir, ou seja, dois pesos e duas medidas! 

Os perus têm uma vida miserável, são criados amontoados, sem espaço para que possam abrir suas asas, caminhar, esticar as pernas, vivem sobre os seus excrementos e urina criando um gás de amônia que lhes queimam os olhos e os pulmões. A criação intensiva provoca inúmeras doenças nos animais. A carne de peru possui bactérias, antibióticos, hormônios e outras toxinas que podem causar sérios problemas na saúde humana.Muitos perus são alimentados com rações pré-fabricadas que costumam conter restos processados de outras aves, sem contar com o dano ambiental que as criações de animais geram. Nos matadouros são pendurados de cabeça para baixo em ganchos, são atordoados com banho eletrificado. Após o atordoamento têm suas gargantas cortadas e são mergulhados em água fervente, muitos ainda com vida, é isto, pergunto, que vai para sua Ceia de Natal comemorar o nascimento da vida? 

Como é possível que Cristo esteja presente numa mesa onde a dor e o sofrimento estejam cravados em uma noite tão especial e santa? Por que as pessoas não incorporam o verdadeiro sentido do natal com atitudes de benevolência e respeito também com as outras espécies? Afinal, Cristo não pregava o amor incondicional? 



O peru viveria uma média de 10 anos se não precisasse ser degolado para estar na tão aclamada mesa natalina, mas, infelizmente, e para o deleite das empresas que vivem à custa da morte dos animais, são eliminados de forma cruel de 12 a 26 semanas de vida. Milhares de perus são mortos no período de natal para festejar o nascimento de seu criador, que ironia! As empresas que introduziram e/ ou endossaram essa carnificina natalina agradecem penhoradamente! O mais intrigante é que apesar de incentivarem a manutenção do peru à mesa como algo muito importante a ser preservado para os festejos familiares, nunca soube de nenhuma empresa que doasse perus para as milhares de famílias carentes desse Brasil tão sem personalidade!



Vamos nos humanizar mais, ensinar a nossos amigos e as crianças o verdadeiro sentido do natal. Nossa mesa pode ser farta, bonita e colorida como nenhuma outra e muito mais saudável sem a carne de um pobre animal. Os perus são animais sociais, gostam de dançar e cantarolar, deixemos que vivam , afinal é um direito que lhes cabem tanto quanto ao boi, a vaca, aos porcos, aos cães , aos gatos , a nós etc. Garanto que a sua ceia terá mesmo a bênção do menino Jesus. Não existe tradição acima do bem e do mal, principalmente, quando maltrata e fere inocentes que não podem se defender.



Fontes:
www.vegetarianismo.com.br/natal/a verdade-por-trás-.html
www.accaoanimal.com/site/content/view/314/144

Por Nathalia Mota

Nenhum comentário:

Postar um comentário